Corre menino

Corre menino
Para o cazuá
Do velho Benedito
Que mandou vir lhe chamar

Corre menino
Para o cazuá
Do velho Benedito
Que mandou vir lhe chamar

A história que se repetia
Depois de algum tempo mudou
Honorato que sempre batia
Na contenda foi que apanhou

Benedito que a tudo assistia
De canto pôde perceber
O mais fraco era quem apanhava
Quis ensiná-lo a se defender

O tempo foi passando
O garoto franzino cresceu
Tornou-se o maior de todos os Mestres
Que a Capoeira Angola já conheceu

O Mestre de Mestre Pastinha
Foi escravo na Bahia
Benedito lhe ensinou
Coisa de muita valia